Ministério Público arquiva inquérito de investigação de irregularidades em concurso do TJPE

Ministério Público de Pernambuco (MPPE) arquivou, nesta quarta (6), o inquérito que investigava irregularidades no concurso do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) em outubro de 2017. Segundo o MPPE, não foram apresentadas provas das fraudes denunciadas por candidatos. Com o arquivamento, foi entregue um parecer à presidência do TJPE para que prossigam os procedimentos da seleção.

Ao longo das investigações, o órgão recebeu cerca de 50 denúncias, mas alegou que 80% delas eram repetidas. Segundo o MPPE, a comissão responsável pela investigação alegou que cada candidato ouvido teve um prazo de dez dias para juntar provas aos autos, mas nenhum denunciante teria se munido dos meios de provas cabíveis para sustentar o que havia sido denunciado.

As investigações do MPPE também descartaram as suspeitas de influência de um grupo criminoso alvo de uma operação deflagrada na Paraíba, já que três candidatos apontados como integrantes da organização não tiveram êxito. Um deles não compareceu às provas e os outros dois não obtiveram resultados satisfatórios, segundo o Ministério Público de Pernambuco.

O órgão avaliou, ainda, o método de correção das provas aplicado pela banca examinadora. Após a análise, foi comprovada a impossibilidade de identificação dos candidatos pelos avaliadores da prova subjetiva.

De camisa branca, nariz de palhaço e apitos, os concurseiros chegaram a fazer um protesto em outubro de 2017, em frente à sede do TJPE, no bairro de Santo Antônio, no Centro do Recife, para pedir a anulação do concurso. Segundo os integrantes do ato, houve o não cumprimento do edital e a existência de fraudes. Ao todo, 179.548 pessoas inscreveram-se para o certame.

Do G1 PE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *