Mais de 230 denúncias de maus tratos contra idosos foram feitas em 2019, em João Pessoa

A cada dois dias, em média, uma denúncia de maus tratos contra idosos foi registrada pela Polícia Civil em João Pessoa, durante 2019. De acordo com a polícia, ao todo, foram instaurados 233 procedimentos policiais para apurar crimes como ameaças, xingamentos, agressões físicas e apropriação de bens e valores.

Segundo informações que foram divulgadas pela Delegacia de Atendimento ao Idoso de João Pessoa, na maioria dos casos, os suspeitos de praticar os delitos são filhos, netos e outros membros da família das vítimas. Do total de procedimentos instaurados, 106 foram inquéritos e os outros 127 foram Termos Circunstanciado de Ocorrência (TCO). Todos foram encaminhados à Justiça.

De acordo com a delegada Vera Lúcia Soares, os números são considerados altos, mas ainda não correspondem à realidade. Ela explica que muitos idosos sofrem violência, mas não denunciam porque os agressores são familiares próximos.

Ainda segundo a delegada, não há uma classe social definida entre as vítimas. A renda é variada. No entanto, a maior parte dos crimes de motivação financeira é praticada contra idosos que possui renda alta.

A equipe da delegacia foi acionada para atender um caso de uma idosa de 89 anos que estava em situação de maus trato, nesta terça-feira (11). A denúncia foi feita por um dos filhos da mulher. O relato é que a mãe estava sem alimentação e sendo maltratada por outro filho, que morava com ela.

Quem pratica crimes contra pessoas acima de 60 de idade está sujeito às penas previstas no Estatuto do Idoso (Lei nº 10.741/2003). Em vigor há 17 anos, a legislação assegura garantias fundamentais à saúde, dignidade, respeito, alimentação, liberdade e outras áreas da vida dessa parcela da população.As penas previstas incluem pagamento de multas, prestação de serviços comunitários e até prisões. Em caso de crimes, os responsáveis podem ter as sentenças agravadas se forem da mesma família da vítima.

Com informações do G1 PB

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *