Estudo aponta que universalização do saneamento básico no Brasil traria investimentos trilionários

 

A universalização do saneamento básico traria ao país benefícios econômicos e sociais de mais de R$ 1,1 trilhão no prazo de 20 anos, segundo um estudo do Instituto Trata Brasil divulgado nessa quarta-feira (7). Isso quer dizer que os ganhos com a expansão dos serviços de água e esgoto no Brasil são maiores que os custos para investir no setor. Os setores mais beneficiados são os de saúde, educação, turismo, emprego e imobiliário.

Segundo os dados de 2016 do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), apenas 51,9% dos brasileiros têm acesso à coleta de esgoto, o que significa que mais de 100 milhões de pessoas utilizam medidas alternativas para lidar com os dejetos – seja através de uma fossa, seja jogando o esgoto diretamente em rios. Quanto ao acesso a água, 35 milhões de brasileiros seguem sem conexão com o sistema.

Segundo o estudo, caso o saneamento fosse universalizado hoje, os custos de infraestrutura chegariam a R$ 241,3 bilhões. Considerando o aumento de despesas nas contas das famílias com os novos serviços de água e esgoto, o custo total chegaria a R$ 395,6 bilhões em 20 anos.

Com a universalização do saneamento, porém, o país teria uma série de benefícios nesses próximos anos que tornariam as contas positivas. Eles vão desde a redução dos custos com a saúde até a renda gerada pelo aumento de operação da cadeia produtiva do setor. Essa renda chegaria a R$ 1,5 trilhão. No final, o balanço positivo é de mais de R$ 1,1 trilhão para o país, aponta o estudo.

 

Com informações do G1





Deixe uma resposta